Crônicas, Amor & Sexo

[+18] Sexo Oral: Fazer ou Não fazer? + Dicas Pra Mandar Bem

Vamos bater um papo cabeça sobre sexo oral? Então, vamos começar sem vergonha! Exercer nossa sexualidade é gos-to-so e um direito. Dito isso, bora papear. ❤

Imagem: We Heart It
Imagem: We Heart It

Fazer ou não fazer?

Clichê, mas: a questão é se sentir à vontade. Tem mulheres que têm um baita tesão em chupar o parceiro. Maravilha. Não tem por que não fazer. Há também quem não goste de fazer. Ok. Não faz, então.

Mas há quem não queira fazer por medos: medo do que o parceiro vai pensar (isso rola principalmente nas primeiras vezes), medo de não agradar, medo de talvez engolir esperma, medo de simplesmente experimentar chupar. Não somos obrigadas a NA-DA (acho que todas já sabem disso).  Mas, fazer oral não deveria ser motivo de temer coisa nenhuma.

“Sexo oral é coisa de vagabunda”

Uma coisa que já escutei – e fico triste só de lembrar – é que “sair chupando o parceiro é coisa de vagabunda”. Guria, por favor: JAMAIS DIGA ALGO ASSIM.

Imagem: Giphy
Imagem: Giphy
Imagem: Giphy
Imagem: Giphy

Uma mulher não é vagabunda por estimular sua sexualidade ou fazer o que quer com seu parceiro, seja ele “casual ou o de sempre”. Repetir esse tipo de discurso, seja ele sobre qualquer perspectiva dentro da sexualidade (dar de quatro, fazer oral ou o que for), é perpetuar uma sociedade machista e babaca. 🙁 Não faça isso. Todas as mulheres agradecem!

Imagem: We Heart It
Imagem: We Heart It

E o que ele vai pensar?

“E se ele achar que eu sou fácil de mais e não quiser nada sério comigo?” Ele é um babaca machista se pensar isso, que vocês não tenham nada sério mesmo! Alguém que use um pouquinho do cérebro sabe que uma coisa não tem nada a ver com a outra.

Imagem: We Heart It
Imagem: We Heart It

Aqui entra uma vantagem de conhecer a pessoa antes de transar: tu já sabe quem ela realmente é e isso é muito bom. Não porque tenha que ser comportada. Só pra ter certeza de que o cara não é um idiota ou de que a gente não vai se arrepender. Mas, claro que a decisão é nossa.

Já que estamos falando sobre isso, não sei se tu já viu esse vídeo da Jout Jout (sem noia, sem caô). Puro amor. ❤ Abre em uma abinha pra assistir depois. Se for assistir agora, volta pra continuar a leitura.

E se eu não fizer bem?

Quanta inseguranças, nas primeiras vezes. Será que vou conseguir fazer direito? Não vai machucar? Faço com que intensidade?

Bom, sexo oral por si só é gostosinho. Além da boca ser quente e úmida, a língua é perfeita pra estimulação do clitóris ou da glande do pênis, que são cheios de terminações nervosas que permitem muitas sensações e prazer. Então, não precisa ser expert pra conseguir dar, chutando baixo, um pouquinho de prazer ao parceiro.

Imagem: We Heart It
Imagem: We Heart It

Além disso, sexo oral, como tudo na vida, é questão de prática. Então, quanto antes começar, antes vai mandar bem. Deixa o medo de lado e vai brincar com alguém que você queira\goste. (Não sou conservadora, mas fazer com quem a gente já conhece e sabe que nos respeita é tudo de bom.) 😉

Dicas (não infalíveis) que podem ajudar

Imagem: We Heart It

Não existem dicas infalíveis, apenas dicas que podem ajudar. Vai depender de cada pessoa. Afinal, todo mundo tem preferências, ainda mais quando o assunto é sexo. Aí, vão algumas:

❤ Consuma conteúdo

Um segredo pra estimular a autoconfiança é pesquisar bastante sobre o assunto. Então, veja vídeos, leia textos, envie perguntas pra sites de sexólogos – aliás, consuma principalmente material feito por sexólogos (eles são profissionais, né).

A parte mais interessante é entender como funciona o pênis (não só que batidas na região doem muito ou que o pênis fica ereto por causa da circulação sanguínea): qual o nome das regiões, onde é mais sensível, onde é mais prazeroso, onde pode doer; e assim por diante…

❤ Sem insegurança

Querida, tu já está tentando fazer algo a que não é obrigada por livre e espontânea vontade pelo prazer do parceiro com quem se importa. Pode ter certeza que ele não tem do que reclamar. E se reclamar, fala exatamente isso. Agora, que ele pode dar umas dicas, pode!

❤ Sem nojinho

Qualquer coisa que a gente faz ou alguém faz pra gente com nojinho não é legal, é melhor não fazer. Se tu que tentar, vai sem medo. Faz o que tiver pra fazer e depois decide se é ruim, se é bom, se tanto faz ou que for. Sexo sem nojinho é a melhor coisa que tem.

Um exemplo: esperma na boca\engolir. Nojo absoluto entre a maioria das mulheres, sendo que muitas nunca experimentaram pra realmente se é ruim assim como pensam (e nem se dão conta de que elas gozam na boca do parceiro, muitas vezes).

❤ Peça ajuda ao parceiro

Nada melhor do que ter um diálogo aberto sobre o sexo entre vocês dois. Não tenha medo de perguntar se como tu está fazendo é bom ou se ele gosta de algo em especial. Não tem mistério, é só perguntar (e vale fazer até durante a chupada, ele vai guiando e tu melhorando).

Ah! Se tiver qualquer coisa que tu não goste de fazer ou até que ele faça enquanto tu tá chupando – ex.: colocar as mãos na tua nuca pra tentar conduzir o ritmo -, fale também. É uma via de mão dupla! 😉

❤ Explore coisas novas

Da pra fazer sexo oral de tudo quanto é jeito. Explore regiões mais isoladas do pênis e não deixe “as bolas”, como a galera chama, de fora. Elas merecem atenção também, só cuidado pra não machucar: região MEGA sensível.

Existem diversas possibilidades, é só ir brincando e descobrindo. Aliás, a posição 69 é uma ótima maneira de dar prazer ao mesmo tempo que recebe.

❤ Pratique

E pratique. E pratique. E pratique.

❤ Tu também tem que receber

Só vou dizer uma coisa: chupa, mas seja chupada também! Prazer a dois é pros dois, não só pra uma das partes. 😉

Imagem: Giphy

Imagem: Giphy
Imagem: Giphy
20 anos. Gaúcha, webwriter e futura publicitária. Louca por desafios, intensa e impaciente. Ama muito, odeia muito. Às vezes, ao mesmo tempo. Acredita que o amor, principalmente o próprio, supera tudo. |
Instagram: @brutesch

1 thought on “[+18] Sexo Oral: Fazer ou Não fazer? + Dicas Pra Mandar Bem”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *