Crônicas, Amor & Sexo

Não É De Sexo Que Sinto Falta

Não é de sexo que sinto falta. A saudade que sinto é do nosso sexo, e não é por carência. Sexo eu encontro em qualquer cara mais próximo, em uma balada ou mesmo pelo celular. Mas, não é isso que eu quero, nunca quis.

Não se trata do sexo, na verdade. É sobre conexão, a nossa conexão. O nosso sexo é conversa sem palavras, dança sem música. É um desvendando e, ao mesmo tempo, mostrando o quanto conhece o outro. Nosso sexo é carinho, cuidado e altruísmo, o prazer de um é também o prazer do outro.

Nosso sexo é amor e paixão, assim, somados e elevado ao quadrado. Pelo menos, era. Por isso, digo: não é de sexo que sinto falta, é da nossa conexão. E quanto mais eu tento esquecer, mais eu me lembro.

E o pior é que é mais que saudade. Saudade eu tenho de mil outras coisas e pessoas. O que eu carrego de ti, do teu abraço e do nosso sexo tão encaixado é amor. Mudou um pouco, mas não deixou de ser.

Ainda lembro do teu cheiro e do teu beijo molhado. Lembro das tuas covinhas escondidas, do teu sorriso encabulado e dos teus olhos de ressaca. Ainda lembro da tua voz brincalhona, daquela de bebê que usava para pedir um mimo, e da irritada também.

Ainda lembro da tua posição preferida ao dormir, do prato que tu mais gosta e do teu grande sonho de vida. Ainda lembro, mesmo tentando esquecer. Não sei se esse é ainda é tu, ou se já te reinventou e se transformou em um desconhecido.

O fato é que te vejo com os mesmos olhos para os quais tu olhava e jurava amar para sempre. E essas recordações não estão guardadas na mente. Estão no meu coração. Quer lugar pior para guardar quem não quis ficar?

20 anos. Gaúcha, webwriter e futura publicitária. Louca por desafios, intensa e impaciente. Ama muito, odeia muito. Às vezes, ao mesmo tempo. Acredita que o amor, principalmente o próprio, supera tudo. |
Instagram: @brutesch

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *