Beleza & Saúde

Cabelo Ruivo Cobre ou Acobreado: Tudo Sobre Como Fiquei Ruiva

Cabelo ruivo acobreado ou cabelo ruivo cobre

Querendo ficar ruiva? Vem ver como eu tomei a decisão, escolhi o tom da cor e enruiveci!

Atenção: Esse post não tem intenção de ditar como as coisas são ou não, ou se há certo e errado. Contém apenas minha experiência e visão sobre o assunto. 😉 Vamos lá!

Como decidi ter o cabelo ruivo

Eu sempre achei cabelos ruivos lindos, assim como sempre tive vontade de mudar o cabelo. Porém, como não tinha coragem e queria ter certeza antes de mudar, namorei a ideia durantes uns dois anos antes de enruivecer.



Eu decidi mudar o visual depois de uma fase em que minha vida ficou de ponta cabeça. Passei por várias mudanças e estava saindo de uma fase ruim. Então, achei que era a hora de tomar coragem e arriscar mais essa mudança, para marcar um recomeço!

Como o meu cabelo era

Meu cabelo era virgem, ou seja, sem química. Para não mentir, em 2014 eu tinha inventado moda em casa e descolorido as pontinhas do cabelo com o L’oréal Imédia Excellence Californiadas.

Imagem: Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Eu amei na hora, mas depois me arrependi muito! Cabelo mega seco e fraco, mesmo com hidratação regular. O meu fio ficou detonado e tive que aguentar: a saída foi ir hidratando e cortando o cabelo mexendo no comprimento (e, ainda assim, levou mais de dois cortes para essa descoloração sair).

Mas, voltando! O que importa é a cor base do meu cabelo. Quando decidi enruivecer esse ano, em 2016, esse era o meu cabelo:

Imagem: Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

O ruivo que eu sempre quis

Você quer ficar ruiva, ok! Mas, já escolheu a tonalidade? Existem ruivos e ruivos…

Eu sempre usei muito o Instagram como ferramenta de inspiração (aliás, me acompanha por lá: @brutesch). Eu procurava por cabelos ruivos, seguia perfis de ruivas e sempre acompanhava. Fiz isso para estudar bem o ruivo que eu queria!

O ruivo que eu sempre quis (como a maioria das mulheres) era esse:

Imagem: Insta @redheadsy @ruivandose
Imagem: Insta @redheadsy @ruivandose

A orientação profissional é importante: ainda bem que procurei

Eu acompanhei durante muito tempo meninas que ficaram ruivas em casa. Vi muitos “antes e depois” e “expectativa e realidade”. Tem muitas pessoas que deram conta e ficaram lindas. Mas, eu preferi não arriscar por dois motivos:

1 – não costumo acertar a mão com esse esquema de Do It Your Self ou Faça Você Mesmo;

2 – meu cabelo era virgem e, por ter amigas cabelereiras, vi que esse esquema de colorimetria capilar é assunto sério e vai além do que muitas blogueiras te contam.

A escolha do profissional certo

Procurei avaliação de um profissional (e foi a melhor decisão que tomei). Mas, não foi qualquer um!

Eu pesquisei bem o trabalho, conversei com pessoas que já faziam o cabelo com o profissional que escolhi e decidi marcar um horário para cortar o cabelo e conversar sobre a possibilidade de ficar ruiva.

Cuidado! Muitos profissionais não se mantêm atualizados, não aprimoram as técnicas ou acompanham as tendências. E o pior: tem aqueles que não conversam com a cliente. Não explicam os prós e os contras, simplesmente saem atendendo para serem pagos e pronto.

Eu moro na zona norte de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. E fiz o cabelo com o Fernando Gomes, da Estética Firenze. Ele atendia amigas minhas há anos e eu já acompanhava o trabalho nota mil dele.

Como foi a minha avaliação:

O Fernando foi atencioso e sincero comigo. Quando falei que queria ficar ruivíssima desde a raíz do cabelo, ele me explicou que essa não era a melhor opção. Fiquei frustrada? Sim! Mas, logo vi que ele sabia o que estava me dizendo.

Ele explicou que a coloração desde a raíz mexe totalmente com o fio, resultando em várias mudanças no cabelo. E conforme ele fosse crescendo, a raíz (aquela bem marcada, que eu acho horrorosa) iria ficando extremamente à mostra e eu teria duas opções: retocar ou, caso não quisesse mais retocar, pintar com uma cor próxima do meu cabelo.

Próxima! Eu não conseguiria voltar a ter o meu cabelo natural (com o tom e nuances exatos), caso me arrependesse. Então…

Fiquei ruiva sem mexer na raíz!

O Fernando sugeriu manter minha raíz intacta (mais ou menos um ou dois dedos já era o suficiente) e apostar na tonalização em mechas. Eu nunca fiz questão de parecer ruiva natural. Então, topei de primeira!

Eu levei fotos de referência, de como eu imaginava as mechas/o ruivo. Foi difícil achar um cabelo com a cor base igual/próxima da minha e com mechas ruivas que eu achasse harmônicas. Mas, achei!

É um ruivo diferente do que queria inicialmente. Mas, lindo igual!

Imagem: Marcos Proença
Imagem: Marcos Proença
Imagem: Marcos Proença
Imagem: Marcos Proença

O procedimento e o resultado 

O Fernando me explicou que o ruivo fica diferente conforme a iluminação do ambiente e também sair diferente em fotos.

Ele perguntou que tom eu imaginava. Eu disse para ele caprichar, que podia deixar bem cobre, rasgado mesmo!

Imagem: Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Não sei explicar exatamente como foi o processo tim-tim por tim-tim, como um profissional explicaria (Fernando, me corrige se eu falar besteira!). Mas, o que o Fernando fez foi primeiro a descoloração das mechas, sempre muito atento e conferindo os fios.

Imagem: Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Depois (de um tempão de molho haha), o Fernando aplicou o tonalizante. Sim, a tonalização exige manutenção, retoques para reavivar a cor, mas o bom é que não é tão agressiva como a tintura.

“Mas tu descoloriu o fio, Bruna”. Sim! Mas, o Fernando trabalha só com produtos incríveis. Ele usou o Fibreplex no meu cabelo, que mantém a integridade do fio mesmo no processo de descoloração.

Imagem: Fernando Gomes
Imagem: Fernando Gomes

O resultado foi maravilhoso! Meus fios não estão ressecados ou fracos. Estão macios e com muito brilho.

Imagem: Fernando Gomes
Imagem: Fernando Gomes

A cor ficou extremamente viva e alaranjada na primeira semana. Depois foi suavizando. Natural!

E, como o Fernando me avisou, o ruivo muda conforme a iluminação do ambiente. Essas são fotos do mesmo dia, em ambientes diferentes:

Imagem: Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Mais fotos do meu cabelo ruivo acobreado ou cobre

Para finalizar, separei algumas fotos para mostrar para vocês como ficou o resultado depois de um mês de lavagens e – de novo – em diferentes ambientes/iluminações.

Essas são fotos da primeira semana. A cor estava bem “rasgada” e viva!

Imagem: Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Depois, começou a suavizar e ficar mais discreta. Essas fotos foram tiradas em ambientes fechados e com iluminação mais baixa e quente:

Ruivo cobre discreto

Esses fotos são da terceira semana. Eu tirei dentro de um shopping, onde a iluminação é ampla e mais fria:

Imagem: Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Na mesma semana, tirei essas fotos, também em uma luz branca/fria. O tom mais avermelhado se foi e o cabelo ficou mais para um loiro:

Imagem: Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Essas fotos eu tirei ao ar livre, bem no fim de tarde, com pouco sol:

Imagem: Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Estou muito feliz, mas pretendo reavivar a cor. Deixar o ruivo mais alaranjado, já que com as lavagens ele está mais desbotado e eu já acostumei.

Já faz praticamente um mês que fiz a tonalização. Eu deveria estar usando produtos para manter a cor viva. Mas, só comprei agora shampoo e condicionador para cabelos coloridos (depois vai ter resenha).

Mas e aí, gurias? Dicas para o cuidado com o cabelo ou produtinhos? Alguma querendo ficar ruiva? Me contem aqui nos comentários!

11 thoughts on “Cabelo Ruivo Cobre ou Acobreado: Tudo Sobre Como Fiquei Ruiva”

  1. Oi Bruna! Ficou lindo, amei muito! Você fez algo nas sombrancelhas para deixa-las mais claras? Penso em ficar ruiva, mas minhas sombrancelhas tem o pelo preto e são bem marcadas

  2. Oiê sempre quis um ruivo tipo da Marina Ruy Barbosa, meu cabelo está com a raiz loiro escuro que é a cor do meu cabelo e a metade loiro(descolorido) . Tenho dúvidas se devo comprar uma tinta ou tonalizar ..pra ficar um resultado parecido com oq eu quero .

    1. Oi, Camila! Sonho de todas as que querem ficar ruivas, né? haha Então… Eu estou começando a ter problema com meu cabelo quanto a essa situação que você citou. Minha raiz está crescendo e ficando escura em comparação ao resto do cabelo. A maior parte do meu cabelo tem como base mechas loiras porque o cabeleireiro fez elas para depois que aplicasse tonalizante e o ruivo ficasse natural. Acontece que comecei a usar tintura em todo o cabelo. Mas como as bases da raiz crescida e do resto do cabelo estão diferentes, não tem como ficar uniforme nunca a cor, seja com tonalizante ou tinta! Então, vai acontecer o mesmo com você. Nós duas temos que procurar um profissional pra harmonizar as bases e nosso ruivo ficar uniforme! Sem dúvidas, ter a base mechada em um loirinho dourado e usar tonalizante era a melhor opção, porque por mais que eu tivesse que reaplicar o tonalizante várias vezes (ele desbota muito rápido), pelo menos ele saía e não mexia na base do cabelo em si.

  3. Sinceramente, acho que você caiu em um belo papinho de cabeleireiro. Essa história de descolorir para ficar ruiva é a maior balela e é a querida com piores resultados. Mas por que os cabeleireiros nos convencem a fazer? 1. Porque é o método mais lucrativo para eles. Por passarmos mais de 3 horas no salão pra fazer todo esse processo, é uma boa desculpa para cobrar mais. 2. Porque cabeleireiro é viciado em loiro. Eles só sabem fazer loiro. Só sabem fazer essas luzes com papel alumínio. Os poucos cabeleireiros que se especializam em ruiva sabem que se descolorir o fio, o pigmento vermelho não pega!!! Conclusão do seu caso: vc fez um dano desnecessário ao seu cabelo, ao descolorir, e pode não ser notável nas primeiras semanas, mas será. Além disso, ficará escrava do seu cabeleireiro em um ciclo infinito de hidratação-reconstrução-tonalizante-uniformização. A raiz ficará cada vez mais destoante das pontas e para uniformizar o tom terá que fazer mais luzes, mais descoloração, mais tonalizante. Enquanto que se tivesse feito a tintura diretamente, teria que retocar a raiz, sim, mas seria o basicamente o único trabalho que vc teria (além dos processos de hidratação normais, que devem ser rotina em cabelo tingido ou não!). Outra coisa que cabeleireiros não te contam: só a tintura já abre um dois tons sim!! No seu caso, um cabelo castanho médio, se vc passasse diretamente um tom 8.4 chegaria a um ruivo lindo. E uma coisa eu posso garantir: se retocar a raiz a cada 2 ou 3 semanas, a diferença de cor fica imperceptível e o dano que estará fazendo ao seu cabelo é muito menor do que com as luzes. Com as luzes, o ruivo sempre desbotará rapidamente e vc terá que ficar tonalizando. Usando só a tintura, só precisa ir retocando a raiz e tonalizar uma vez ao mês, nos 3 a 6 primeiros meses, e depois o cabelo para de desbotar tanto. É possível manter só retocando a raiz e tonalizando a cada 3 meses. Sou ruiva há quase 4 anos, aprendi muito nesse tempo, principalmente a não acreditar no que qualquer cabeleireiro fala. Por mais que seja um “bom” cabeleireiro, não significa que ele seja bom em matéria de ruivos.

    1. Oi, Isabela!

      Primeiro, MUITO OBRIGADA, pelo seu comentário! Ele é detalhado e muito didático, explicando bem outro meio de ficar ruiva, outro ponto de vista. Isso é muito importante porque vai ajudar outras leitoras!

      Realmente trabalhar com a descoloração trouxe alguns pontos negativos, mas já trabalhei com a tintura no meu cabelo também e tive outros contras. Vou tentar escrever mais sobre o assunto. Espero ter seus depoimentos nesses novos textos.

      Um beijo!

  4. Oi, Bruna adorei ler sua experiência! Eu também passei por esse processo de decidir mudar rsrs , estou mais ruiva que você rsrs mas a tonalidade abre mesmo e puxa para o loiro 😪 eu não queria , adorei o cobre! Mais sobre a dica de produtos eu uso a linha da Amend cobre , estou adorando e a Máscara tonaliza mesmo , bastante! Bjs

    1. Oi, Bruna (minha xará)! haha

      Obrigada pelo elogio, que bom que gostou, tentei explicar tudinho do processo. Eu também fico triste porque abre muito a tonalidade, não tem muito o que fazer (ainda mais quando se lava o cabelo com frequência como eu). Os produtos ajudam sim, mas hoje em dia eu ando meio descuidada, usando produtos normais. O máximo que uso é algo pós-química. Estou me preocupando muito mais com a qualidade do fio do que com a cor. Mas obrigada pela dica de produto, vou pesquisar, e acredito que vai ajudar outras leitoras!!!

      Vou fazer um conteúdo atualizando sobre como foi o processo depois de ficar ruiva. Espero que você esteja por aqui para ler <3
      Um beijo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.